sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Carta aberta ao Sr. Antonio Roberto Vigne, suserano do feudo 'Campanha Anti-Corrupção Nacional'





No ambiente da rede social Facebook têm proliferado, nos últimos tempos, comunidades supostamente engajadas na causa contra a corrupção — mas que, em verdade, funcionam não mais que como veículo de extravasamento de ingênua e inócua indignação coletiva, quando não como instrumento de grosseira manipulação de massas por parte de opositores a governos ou de prosélitos de determinados partidos políticos. 


Apesar disso, tenho procurado participar ativamente de algumas dessas comunidades. Busco, sempre que possível, afirmar a necessidade de que  para além de promover gritaria histérica e casuística contra os escândalos e os corruptos da ocasião  se discuta e se atue efetivamente em prol do estabelecimento de mecanismos de prevenção da corrupção no ordenamento jurídico e na arquitetura institucional do Estado, bem ainda a modificação das condições estruturais que ensejam a permanência desse mal na Administração Pública brasileira.


Sem qualquer surpresa, porém, soube hoje que fui sumariamente excluído de mais um desses grupos, desta feita em razão comentário que publiquei ontem aqui no Blog do Braga da Rocha, sob o título 'Mais um reforço para a quadrilha do PMDB no Senado Federal'.


O Sr. Antonio Roberto Vigne, que se diz cientista político e faz as vezes de 'dono' e administrador plenipotenciário do grupo Campanha Anti-Corrupção Nacional — além de editor de um blog de sofrível qualidade —, afirma reiterada e peremptoriamente sua crença nos partidos políticos brasileiros e, em nome dessa profissão de fé, censura e cala aqueles que, como eu, se põem em desacordo com suas idéias simplórias e falazes.


Na falta de oportunidade para me manifestar na comunidade, da qual fui sumariamente excluído sem direito a qualquer manifestação, publico neste espaço — de resto freqüentado por um contingente exponencialmente maior e mais bem qualificado de leitores que o grupo do Sr. Vigne — a seguinte carta aberta àquele despótico suserano de mais um micro-feudo do mundo virtual:


Belo Horizonte, 16 de dezembro de 2011
Sr. Antonio Roberto Vigne:
Se ocorresse a Vossa Senhoria a curiosidade de consultar minhas credenciais acadêmicas e profissionais — aliás, à toda evidência infinitamente mais robustas que as suas —, talvez tivesse algum pejo de tentar, de modo presunçoso e arrogante, dar-me lições de Direito ou apontar-me a necessidade de conferir caráter 'técnico' às minhas manifestações. 
Não advogo causa partidária nem ideológica alguma, propriamente dita. Mas digo e reafirmo que os partidos políticos nacionais são siglas sem qualquer representatividade, que se limitam a reunir, no mais das vezes, grupos interessados no exercício do poder para tão-somente locupletar-se com a malversação dos dinheiros públicos; em outras palavras, constituem pouco mais que quadrilhas organizadas na forma da lei para saquear o Estado das mais diversas formas. 
Como Vossa Senhoria parece padecer de incorrigível embotamento intelectual, por força de crenças dogmáticas, reagiu de forma despropositada às minhas manifestações e, enfim  por discordar do que afirmo —, em vez de limitar-se a apresentar argumentos consistentes em contrário, acabou por excluir-me sumariamente do grupo Campanha Anti-Corrupção Nacional, sob sua autocrática administração na rede social Facebook. 
Vossa Senhoria, como se percebe claramente, não admite a livre manifestação do pensamento, a pluralidade de idéias nem o contraponto de opiniões naquilo que considera o seu 'feudo'. Quer uma comunidade monolítica, repleta de publicações que lhe agradem e correspondam a seus apriorismos e pressupostos dogmáticos. Deseja possivelmente apenas uma claque para si, composta de uma massa amorfa e acrítica de áulicos medíocres
Naturalmente, eu já esperava por isso. Percebo claramente quando estou a lidar com gente intelectualmente limitada e politicamente autoritária.
Por óbvio, não me interessaria seguir a participar de uma comunidade como essa, orientada por vieses arbitrários e personalistas. Trata-se, afinal, de coisa de calhordas seguidos por néscios.
Fique com seu grupo e com os estúpidos cordeiros que desejem acompanhá-lo.
Atenciosamente,
Braga da Rocha, Prof. M.Sc.



Post scripta:


Resposta do Sr. Vigne, via sistema de mensageria da rede social Facebook, aos 17 dez. 2011:




Este blogger está 'morrendo de medo'!!!



14 comentários:

  1. Caro Braga da Rocha, o tom, descabido e agressivo, com que V. Sa. trata o PMDB e seus militantes, na matéria aludida por V. Sa, permite, sim, que aqueles que não sabem que V. Sa. apenas faz troça com o tema (já que suas origens ideológicas encontram-se afiançadas ao velho e corruptíssimo PSD) o levem a sério e se afastem de V. Sa. Eu, no entanto, que me sinto ofendido vez por outra com seus textos, dou de ombros, sorrio e sigo lhe admirando. Mas não se pode exigir de todos a mesma tolerância com seus excessos, digamos, pecaminosos. Meu fraternal abraço, José Luiz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdadeiramente pecaminoso é o modo como se assalta o patrimônio público neste País, meu caro amigo, em proporção e contumácia inimagináveis ao tempo do velho regime de contraposição entre os igualmente corruptos, entre si, PSD e UDN. Siglas como PMDB, PT, PSDB, DEM, PR, aqui mencionados apenas a título de exemplo, saqueiam o Estado de tal modo que faz o patrimonialismo do passado parecer um mero pecadilho venial.

      Excluir
  2. Com o devido respeito ao Prof. Dr. José Luiz Borges Horta, é interessante como adjetivos mais fortes e, mesmo, contundentes têm sido tolerados quando provêm da pena de um Reinaldo Azevedo ou de um Diogo Mainardi. A questão posta pelo Renato Braga da Rocha é bem outra: a do caráter estritamente nominal - para não dizer fisiológico - das siglas partidárias no Brasil. Por mais desconfortáveis que todos fiquemos com o fenômeno da corrupção, realizar um movimento contra ela é o mesmo que realizar um movimento contra a guerra: é um mal onipresente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuo a dever o 'post' anunciado. Mas não está esquecido. Segue em minha pauta de afazeres.

      Excluir
  3. Braga,
    Acompanhei suas colocações no grupo marcha da corrupção, parabéns. Eu mesmo fui ofendido pelo que rapaz que não tem civilidade no debate. Denilson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [resposta em Dec 18, 2011 10:46 PM]

      Agradeço-lhe, prezado colega Denilson.

      Reconduzi para este 'post' o seu comentário, pois estava 'off topic' no outro.

      Convido-lhe a também se manifestar contra o obscurantismo, o embotamento intelectual e o sectarismo partidário e ideológico que têm predominado nesses grupos.

      Excluir
  4. Sr. Braga, eu não o conheço e nem o senhor autor desse vídeo, mas gostaria de saber o que o senhor acha se existe veracidade nesse vídeo. Grata. https://www.youtube.com/watch?v=X6qWxdQgUOM&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  5. Caro senhor, antes de tudo, meus respeitos. Após decorridos tantos anos de sua publicação não sei se o senhor terá acesso à leitura do que escrevo agora. Seus comentários são atualíssimos e se revelaram sólidos no transcorrer do tempo. Hoje, dia 21 de março de 2016 fui surpreendido pela indagação de uma amiga sobre a divulgação no You Tube de uma tenebrosa análise de acontecimentos que iriam ocorrer em razão da bagunça política que tomou conta do Brasil, divulgação essa do Sr. Antinio Roberto Vigne. De imediato suspeitei em razão da ausência de indicação de fontes que pudessem dar respaldo à visão daquele senhor, declarado cientista político. Nunca havia ouvido falar dele. Exatamente por isso decidi pesquisar seu nome no Google. E foi assim que cheguei ao blog do senhor e a esta postagem extremamente reveladora de quem se trata o Sr. Vigne. Após ler o que o senhor escreveu, voltei à minha amiga e a tranquilizei. O que tanto a assustou não passa de material autopromocional de alguém que parece ter a necessidade de se sentir um oráculo e condutor das massas para o livramento nacional, frutos, talvez, de uma megalomania disfarçada, mas, nem por isso, detectável. Parabenizo o senhor por sua reação e discernimento, emoldurados por um texto irrepreensível, seja por suas justíssimas motivações, seja pela redação impecável. Forte abraço. Emanuel Moraes (om1@hotmail.com).

    ResponderExcluir
  6. Caro senhor, antes de tudo, meus respeitos. Após decorridos tantos anos de sua publicação não sei se o senhor terá acesso à leitura do que escrevo agora. Seus comentários são atualíssimos e se revelaram sólidos no transcorrer do tempo. Hoje, dia 21 de março de 2016 fui surpreendido pela indagação de uma amiga sobre a divulgação no You Tube de uma tenebrosa análise de acontecimentos que iriam ocorrer em razão da bagunça política que tomou conta do Brasil, divulgação essa do Sr. Antinio Roberto Vigne. De imediato suspeitei em razão da ausência de indicação de fontes que pudessem dar respaldo à visão daquele senhor, declarado cientista político. Nunca havia ouvido falar dele. Exatamente por isso decidi pesquisar seu nome no Google. E foi assim que cheguei ao blog do senhor e a esta postagem extremamente reveladora de quem se trata o Sr. Vigne. Após ler o que o senhor escreveu, voltei à minha amiga e a tranquilizei. O que tanto a assustou não passa de material autopromocional de alguém que parece ter a necessidade de se sentir um oráculo e condutor das massas para o livramento nacional, frutos, talvez, de uma megalomania disfarçada, mas, nem por isso, detectável. Parabenizo o senhor por sua reação e discernimento, emoldurados por um texto irrepreensível, seja por suas justíssimas motivações, seja pela redação impecável. Forte abraço. Emanuel Moraes (om1@hotmail.com).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também recebi esse vídeo e logo imaginei tratar-se de uma pessoa no mínimo alienada, querendo destaque em plena "confusão de informações". Cheguei até aqui e tive certeza da minha desconfiança. Que bom.

      Excluir
    2. Esse Vigne esta querendo se promover. Desconfiei quando ele comecou a atacar a todos formadores de opinião em uma agressão sem limites. Aí o cara fez um video reclamando da atual situação financeira dele e depois sumiu. Depois de alguns dias voltou fazendo discurso que voltava pelo Brasil. E agora esta la no canal dele pedindo contribuições. Ou seja acho que ele achou que agredindo aos formadores de opiniões iria trazer muitas pessoas ao canal dele mas nada aconteceu entao ele resolveu usar essa tática de pedir contribuição. Ele é muito arrogante.

      Excluir
  7. Ao invés de você, com todo este português difícil, defender o BRASIL por que falar em psdb pmdb ótimo e etc... Vamos falar em corrupção que está comendo o Brasil. Corrupção existe em todos os partidos e é isso que queremos combater. Quem roubou que seja julgado e condenado por isso, quem não roubou que não pague. Ridículo uma pessoa ter tanto medo assim de ser investigado! Investiguem até onde for possível o deputado Jair Bolsonaro, duvido que encontrem algo e duvido que ele teria tanto medo de ser investigado! Parem com isso e vamos acabar com a impunidade no Brasil, chega!! Que collor fhc lula Dilma aecio Neves e todos os outros sejam presos e fiquem bem longe da política

    ResponderExcluir
  8. Nossa sr braga falou da censura do Roberto vigne e tem de aprovar os comentários feito aqui antes de ser publicado no blogue! Estranho isso em!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro-lhe que leia as diretrizes gerais do Blog a respeito de comentários (http://bragadarocha.blogspot.com.br/p/postagem-de-comentarios-neste-blog.html) antes de escrever asneiras também sobre esse assunto, prezado leitor.

      Excluir

Comentários dos leitores são altamente bem-vindos, desde que versem sobre temas contidos na publicação e obedeçam a regras de civilidade e bom tom — vale dizer, não contenham grosserias, ofensas ou calão. Referências com 'links' para ambientes externos são livres, mas não se admitem atalhos para arquivos, paginas ou sítios eletrônicos que possam causar qualquer tipo de dano a equipamentos e sistemas eletrônicos. Em razão disso, os comentários são moderados e podem demorar um certo tempo a aparecer publicamente no Blog do Braga da Rocha.